Rede Globo: transforma assassino de criança em vítima no Fantástico. - agorapovo.com

VISUALIZAÇÕES HOJE

domingo, 8 de março de 2020

Rede Globo: transforma assassino de criança em vítima no Fantástico.


Blog Robson Pires: A transexual chamada Suzy que Drauzio Varella e a Rede Globo pintaram a imagem de coitadinha: ela estuprou, matou e escondeu o corpo de uma criança de 9 anos. Este demônio não deveria estar preso, deveria estar no inferno! E a Rede Globo não disse nada. Será que hoje ela vai se retratar no Fantástico? É somente uma pergunta.

Como é que fica a família da criança de nove anos que foi estuprada, estrangulada e morta pelo travesti que Drauzio Varela foi abraçar e acariciar na prisão?

É somente uma pergunta.

agorapovo.com:

Depois da enorme repercussão negativa nas redes sociais em virtude de matéria onde   a Rede Globo  mostra de forma manipulada um homossexual assassino de criança como uma pobre vítima do preconceito , do abandono da sociedade e governo em mais uma tentativa frustrada da emissora dos Marinhos, em criar uma  agenda de programação contra o Governo Bolsonaro.
 A emissora também  seguindo o Dr.Drauzio Varela emitiu uma nota,onde  ressalta apenas seus interesses, desprezando os interesses da maioria do povo brasileiro .

Entenda o caso

Portal MBL NEWS:
No último bloco do programa Fantástico, da Rede Globo, os apresentadores Poliana Abritta e Tadeu Schmidt deram uma declaração, em nome da emissora, sobre a reportagem veiculada na semana anterior (01), com detentas trans em presídios masculinos. Eles comentaram sobre a repercussão dos casos e das críticas que receberam por não divulgar os crimes cometidos pelas detentas retratadas na reportagem. Confira:
“Domingo passado, o Fantástico exibiu um quadro do doutor Drauzio Varella sobre uma situação que o estado brasileiro precisa enfrentar: mulheres trans que cumprem as penas pelos crimes que cometeram em meio a presos homens, o que gera toda sorte de problemas, como foi visto aqui“, declarou Abritta. “Os crimes das entrevistadas não foram mencionados, porque este não era o objetivo. Foi divulgada uma estatística geral do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos sobre as presidiárias trans, mostrando que 38,5% estão presas por roubo, 34,6% por tráfico, 15,4% por furto, 7,7% por homicídio e 3,8% por associação para o tráfico“, continuou Schmidt.
Poliana retomou, falando sobre as críticas e sobre a nota emitida mais cedo pelo médico, que foi lida por Tadeu. “O quadro gerou muita empatia no público, mas também críticas exatamente por não mencionar os crimes. Sobre as críticas, o doutor Drauzio Varella divulgou a seguinte nota, que o Fantástico apoia integralmente: Há trinta anos, cuido da saúde de criminosos condenados. Por razões éticas, não busco saber o que de errado fizeram. Sigo essa atitude para cumprir o juramento que fiz ao me tornar médico. E para não cair na tentação de traí-lo, atendendo apenas aqueles que cometeram crimes leves. No quadro do fantástico, segui os mesmos princípios“.

Em parceria com:Robson Pires/MBL News.